AIRO - HOME
Acerder à área do utilizador
Estão 0 utilizadores online
Existem actualmente 0 entidades no directório

Login AIRO

Email:
Senha:
Registar utilizador Recuperar Password
Aceda aos serviços disponibilizados pela AIRO
Membro Fundador do C.E.O. 
Conselho Empresarial do Oeste
Caracterização da Região
Introdução

A Região Oeste beneficia de um posicionamento territorial relativamente central no quadro do espaço de Portugal Continental, inserindo-se no corredor que, entre as metrópoles de Lisboa e Porto, melhor comportamento demográfico e económico tem evidenciado no contexto nacional.

É um território, de luminosidade intensa, em que a costa marítima e o campo se interligam, numa mancha verde, salpicada de casario branco e clima muito ameno. É um espaço unido por uma herança cultural comum, cimentada em séculos de cultura da vinha e num apego muito forte à terra e ao mar.

A Região Oeste é uma região especial devido, principalmente, às seguintes características, tornando-se estes os principais pontos fortes (*):

•    Recursos Naturais, paisagísticos e patrimoniais privilegiados;
        - Serras de Montejunto, Aire e Candeeiros ;
        - Castelo Óbidos, Alenquer e Torres Vedras;

Castelo de Óbidos

        - Conventos da Graça, em Torres Vedras, de S. Francisco, em Alenquer, e Stº António, no Varatojo; 
        - Igrejas de S. Leonardo, em Atouguia da Baleia, a Matriz da Lourinhã, de S. João da Ribeira, nas cercanias de Rio Maior, o sítio e ruínas da Igreja do Salvador do Mundo, no Sobral de Monte Agraço, e, ainda, o Paço Real da Serra d’El Rei, a ermida de Nª. Srª das Neves, na Serra de Montejunto, o Touril de Atouguia da Baleia, a Torre dos Lafetat, no Bombarral, ou o Centro Histórico de Óbidos;
        - Praias de areia fina onde se podem encontrar imponentes e escarpadas arribas, ou sítios inexcedíveis de beleza, como o arquipélago das Berlengas e a tranquila Lagoa de Óbidos.


Ilha das BerlengasMosteiro de Alcobaça













        - Mosteiro de Alcobaça - Património Mundial pela Unesco, Óbidos – Património Nacional desde 1951

•    Vida associativa e tradições sócio-culturais valiosas;
        - Folclore (Ranchos); Festa da Vinha e do Vinho - em Arruda dos Vinhos; Festival Internacional do Chocolate – Óbidos; Festival do Vinho Leve e da Pêra Rocha – Cadaval; Festa da Nossa Senhora da Boa Viagem – Peniche; Feira Nacional das Cebolas – Rio Maior, etc.
•    Recursos Institucionais, humanos, produtivos e científicos apreciáveis;
•    Estrutura produtiva diversificada;
  
        - Cerâmica, Faiança – Rafael Bordalo Pinheiro, Raul da Bernarda; Bordados “Rainha D. Leonor” e Rendas de Bilros, etc.

Zé Povinho

•    Elevado potencial agrícola e turístico;  
        - Pêra Rocha, Maçã de Alcobaça, 
        - Vinhos (Rota do Vinho e da Vinha do Oeste), Ginjinha de Óbidos.
•    Acessibilidades rodoviárias; (caminho de ferro do oeste)
        - A8 ( Lisboa-Leiria);
        - A15 ( Óbidos - Santarém -A1) 
        - Linha de caminhos de ferro do Oeste (Linha do Oeste)
•    Posição geo-estratégica, o Oeste é uma região de charneira entre a grande área metropolitana de Lisboa e o mundo rural a norte, o Oceano Atlântico a poente e a influência do Tejo a nascente.

(*) Cf. Comissão de Coordenação da Região de Lisboa e Vale do Tejo, Plano Estratégico da Região de Lisboa, Oeste e Vale do Tejo, CCRLVT, Lisboa, 1999.

O Oeste tem apresentado uma taxa de crescimento demográfico positiva, próxima de uma tendência de estabilização do quantitativo populacional, tendo-se acentuado na última década o crescimento das principais localidades urbanas em detrimento das áreas rurais.

O nível de poder de compra era, em 2004, o correspondente a cerca de 2,63 % do referencial nacional, segundo os dados do “Estudo sobre o poder de compra concelhio – 2004”, publicado pelo INE (Instituto Nacional de Estatística).

Do ponto de vista da força de trabalho, a Região caracteriza-se ainda pela insuficiente qualificação, uma vez que 40% da população residente apenas possui o grau de instrução equivalente ao 1º ciclo, notando-se assim, a baixa taxa de escolaridade média e a falta de quadros técnicos.

No tocante às actividades económicas, deve realçar-se o carácter endógeno que apresentam alguns ramos de actividade industrial, que configuram o perfil de especialização tradicional da Região, bem como as potencialidades locais para o desenvolvimento das indústrias agro-alimentares; contudo, o grau de internacionalização da Região não é, ainda, suficientemente expressivo, condicionando a sua afirmação externa.

A Região Oeste é composta por treze concelhos, conferindo uma grande diversificação à região devido à singularidade dos seus municípios, sendo eles: Alcobaça, Alenquer, Arruda dos Vinhos, Bombarral, Cadaval, Caldas da Rainha, Lourinhã, Nazaré, Óbidos, Peniche, Rio Maior, Sobral de Monte Agraço e Torres Vedras.